terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Poéticas Visuais no MAC 2

Vídeos de Poéticas Visuais no MAC Botucatu

Além dos trabalhos em objetos, fotografia, pintura e instalação também foram produzidos vídeos sobre a arte popular e o sagrado. Veja abaixo essas produções: 




POÉTICAS VISUAIS NO MAC BOTUCATU



Poéticas visuais – Arte Popular e o Sagrado

A oficina de Poéticas Visuais tem como objetivo orientar os participantes acompanhando de perto seu processo criativo e as metáforas estéticas que envolvem suas obras. Por meio da análise conceitual e crítica dos trabalhos procura-se uma orientação individual a cada um deles, contribuindo para seu crescimento pessoal e na procura de sua identidade artística. Também é abordada a preparação de cadernos de campo, a elaboração e execução de projetos de arte, a expografia e a montagem de exposições. A oficina é ministrada pelo arte educador Everton Oliveira desde 2012.
Para esse ano o tema abordado foi a “Arte popular e o Sagrado”, tendo como princípio a pesquisa e a realização de projetos voltados à cultura brasileira e, sobretudo, seus aspectos mais relevantes presentes em nossa cidade – o casario antigo e a forte religiosidade do povo local.
São apresentados como resultados dessa fase os oratórios dedicados à Nossa Senhora de Aparecida, Nossa Senhora de Fátima e à Santa Terezinha, pinturas de casarios antigos, fotografias e instalações sobre a benzedeira dona Oralina, vídeos de aparições de Nossa Senhora e também um estandarte e os paramentos dos orixás Yemanjá e Obaluaiê.
Ressalta-se que todo o material utilizado na mostra é reutilizável, recuperados de caçambas e terrenos baldios da cidade. Produzimos também uma instalação sobre natureza morta e um livreto-arte para compor a exposição. Buscando outras formas de difusão e divulgação das artes visuais, criamos também uma página numa rede social a fim de atingir um maior número de público, cujo link é: www.facebook.com/poeticasvisuaismac.   
A mostra do Atelier Cultura 2014 fica em exposição de 15 de novembro a 23 de dezmbro no Teatro Municipal de Botucatu, com entrada franca. 

Participam dessa mostra: 

Oratórios
Jaqueline Zaparoli
Jo Zappa
Leda Santos
Silvia Montanha

Instalação I - Natureza Morta
Bruna Vasselucci

Pintura – Casario de Botucatu
Jéssica Zambrini

Instalação II – Fotografias e objetos – O Saber Popular e Sagrado das Benzedeiras:  Ora Ora Oralina
Gislene Gaion

Vídeos Aparições
Gislene Gaion
Jaqueline Zaparoli
Jo Zappa

Leda Santos



















terça-feira, 2 de julho de 2013

Projeto Corpo Secreto.


Corpo Secreto”

           A mostra “corpo secreto” é um desdobramento do trabalho de fotografia feito pelo artista Everton Oliveira para o livro “a esquina de Monalisa”, que propõe entrevistas com histórias de vida de cinco travestis da cidade de Botucatu.
Após essas discussões percebeu a possibilidade de se tratar de uma temática pouco explorada – a representação daqueles que são excluídos de uma cultura hegemônica e estão às margens de seus corpos por questões morais, históricas, sociais ou biológicas.
Desse modo vai ampliou essa experiência captando imagens, nos anos de 2012 e 2013, de travestis, deficientes físicos e intelectuais, prostitutas, homossexuais, moradores de rua e adeptos do candomblé, visando um diálogo e uma interposição entre esses indivíduos e a arte, bem como, a abordagem desses assuntos como temática principal do trabalho.
Nessa experiência fotográfica foram produzidas inúmeras imagens com fins artísticos explorando as possibilidades técnicas e de manipulação e para compor a mostra serão selecionadas onze (11) fotografias impressas no tamanho 60x80 cm, ou maiores, em acrílico transparente.
            O artista propõe também poemas que serão apresentados junto delas – poéticas visuais – numa dialética entre imagem e texto, que irá complementar essa experiência visual. 

 Veja abaixo algumas das imagens que irão compor a exposição.




Atêlier Cultura - Poéticas Visuais


Durante os anos de 2012 e 2013 o educador ministrou oficinas de Poéticas Visuais com um grupo de jovens para o Museu de Arte Contemporânea - MAC Itajahy Martins no Município de Botucatu.
Abaixo Folder da programação completa das oficinas do Atêlier e também um trabalho produzido por um dos alunos do curso.




A Esquina de Monalisa

A Esquina de Monalisa


Visando contribuir também para a construção de diálogos que aproximem o Centro à Periferia e difundir o conhecimento e a tolerância pelo interior do Estado, o autor realizou o lançamento do livro documentário no dia 25 de janeiro de 2013 às 20h e 30min, no anfiteatro da UNIFAC em Botucatu/SP, à Avenida Leonardo Villas Boas, 351 – com entrada franca.
Nessa noite houve a presença de mais de cem (100) pessoas, entre convidados, autoridades, imprensa, interessados pela temática e também da Coordenadora de Políticas para a Diversidade Sexual do Estado.
Desse modo, o projeto executou a publicação de mil (1.000) exemplares do livro “a esquina de Monalisa”, bem como, a reprodução de mil (1.000) unidades de Dvd de um Vídeo Documentário. O livro foi publicado conforme materiais especificados no projeto original, sendo: capa em papel tríplex 250g, miolo em papel couchet fosco 150g, na dimensão de 20x20cm.
Como parte das atividades do lançamento foi realizada também uma sessão de diálogos com as travestis, o cineasta e o historiador responsáveis pelo projeto.
Visando democratizar ainda mais o acesso à informação, uma parte do material será distribuído gratuitamente para Comitês, Conselhos e Assessorias Municipais de Políticas Públicas para a Igualdade de todo o interior do Estado de São Paulo, por meio da Coordenação de Políticas para a Diversidade Sexual, conforme documento em anexo, entregues à Senhora Heloísa Gama Alves, que se responsabilizou por essa distribuição.
Ainda, foi realizada a entrega de 10% do material publicado, cem (100) unidades, conforme exigência da contrapartida obrigatória, conforme documento anexo.
Direcionado a pesquisadores, acadêmicos, alunos do ensino médio de escolas públicas, ativistas, militantes da causa e a toda a comunidade interessada pelo assunto, outra parte da publicação será comercializada a preços populares, dez reais (R$ 10,00).
O projeto contou com o apoio do PROAC, da Coordenadoria Estadual de Políticas Públicas para a Diversidade, Secretaria Estadual de Cultura, Prefeitura Municipal de Botucatu, além da Revista Ethos.
Ressalta-se também que foram aplicadas o conjunto de logomarcas Coordenação de Políticas para Diversidade Sexual, PROAC e Governo do Estado de São Paulo – Secretaria de Cultura nos seguintes itens do projeto: convites, livro, documentário e banner, bem como, houve grande divulgação do trabalho junto à imprensa local com citação dos apoiadores do projeto, conforme matérias de jornal em anexo.
Também foi realizada uma palestra no I Fórum da Luta contra a Homofobia, realizado em Botucatu/SP, no dia 17/05/2012, com palestra do autor e exibição de um teaser do filme documentário em produção.

Alem disso foram realizadas mais duas palestras com exibição do documentário na escola NOIA e também na Associação Arte e Convívio, com grande sucesso de público e crítica. Confira aqui as fotos da noite de lançamento.











Projeto Manhã Literária


O Projeto Manhã Literária é desenvolvido pelo educador Everton Oliveira, na escola CEPRA desde 2009 e apresenta trabalhos realizados pelos alunos do ensino médio na disciplina de literatura e produção de texto.
O projeto já está em sua quarta edição e neste ano apresentou versões musicais de poemas como "Canção do exílio" de Gonçalves Dias e também a edição impressa do jornal " O Migué". 
A cobertura completa desse projeto você pode acompanhar pelo blog mantido por Oliveira que leva o mesmo nome do jornal.
Acesse o link abaixo e aproveite:

Terceira edição do jornal "O Migué"




            "Canção do Exílio"





terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Lançamento do livro "a esquina de Monalisa"

Veja aqui a notícia do lançamento do projeto a esquina de Monalisa, do qual sou um dos produtores e integrante da equipe de trabalho.

De onde surge o projeto a Esquina de Monalisa?

 “Mais que nunca precisamos das vozes daqueles cujo discurso não foi turvado pela tentação de dominar o mundo. Mais que nunca temos que prestar atenção naquele gigantesco cadinho humano da chamada periferia, onde sabedorias e práticas seculares são guardadas onde se ensaiam, sob condições incrivelmente difíceis, estratégias de vida e de sobrevivência que buscam alcançar o futuro [...] Se queremos conhecer o ser humano, então temos que aprender a dirigir o nosso olhar para as distâncias.“                         (Hubert Fitche,1987)


Fichte, baseado nas pesquisas de campo de Malinowski, desenvolve seu método de pesquisa, fundamentado na oralidade, como uma maneira de dar voz significativa ao outro, expressando seus tormentos e sua solidão. 
Essa metodologia decorre de entrevistas gravadas, transcritas e colocadas ao público, segundo critérios pré-determinados pela existência de um projeto, que só pode ser realizado se houver a participação das testemunhas oculares dos eventos históricos.
O Livro Documentário “A esquina de Monalisa” parte das metodologias de pesquisa em história oral: a Etnopoesia de Fitche, a descrição densa de Geertz e a história Cultural de Chartier, para a construção de um novo olhar sobre a história das travestis no interior de nosso Estado.
           
 Quem é o responsável pelo projeto?

            Rodrigo Casali é pesquisador, professor de história e artista plástico. Possui Graduação e Mestrado em História pela Universidade Federal da Grande Dourados – UFGD e atualmente é Doutorando pela USP – Universidade de São Paulo, onde também é um dos integrantes do NEO – Grupo de Estudos de História Oral da USP. Sua pesquisa está concentrada na Etnopoesia – estudo das linguagens e das identidades e representações - de grupos marginalizados.
            Fundamentado nessas pesquisas, com chefes de terreiro, publicou o livro “Autofalantes”, 2010, pela editora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, com apoio do CAPES – Centro de Apoio à Pesquisa.
            Em Botucatu, a partir de seu trabalho com os travestis, realizou a exposição “a esquina de Monalisa” composta por pinturas, desenhos e vídeos, em que esses atores sociais relatam aspectos de seu cotidiano e que aconteceu no Museu de Arte Contemporânea Itajahy Martins – MAC.
            No mesmo ano, 2011, seu trabalho de artes visuais foi vencedor de todas as etapas do prêmio estadual Mapa Cultural Paulista, recebendo, além da premiação, excelentes críticas de curadores de renome internacional.

O que é o projeto “a esquina de Monalisa”?

Para ampliar essa experiência o projeto foi contemplado pelo Edital do Programa de Ação Cultural - PROAC voltado às atividades com temática – LGBT, visando agora a publicação de um livro-documentário “a esquina de Monalisa” que será acompanhado de um vídeo com histórias de cinco travestis da cidade de Botucatu - SP, em um processo de tradução para a escrita de uma nova História - aquela vista de baixo.
O livro e o documentário são resultado de pesquisas, leituras e trabalhos de campo da equipe envolvida e parte de etnografias, descrições densas e entrevistas, tratando da identidade e da representação dessas personagens ocultas em nossas periferias urbanas - a travesti.
Para a elaboração de um trabalho com excelente tratamento audiovisual o projeto conta com a participação do cineasta botucatuense Renato Scorsatto e com fotografia e arte do artista plástico Everton Oliveira.

            Visando contribuir também para a construção de diálogos que aproximem o Centro à Periferia e difundir o conhecimento e a tolerância pelo interior do Estado, o autor participará de lançamentos de livros, eventos, seminários e congressos sobre a temática LGBT, além de realizar palestras e exibições do documentário como contrapartida pela publicação da obra.
Desse modo, o projeto tem como objetivo a publicação de mil (1.000) exemplares do livro “a esquina de Monalisa”, bem como, a filmagem e edição de um Vídeo Documentário, que acompanhará o livro, com as histórias de vida contadas pelas travestis de Botucatu.
Para democratizar ainda mais o acesso à informação, uma parte do material será distribuído gratuitamente para Comitês, Conselhos e Assessorias Municipais de Políticas Públicas para a Igualdade de todo o interior do Estado de São Paulo.
Direcionado a pesquisadores, acadêmicos, alunos do ensino médio de escolas públicas, ativistas, militantes da causa e a toda a comunidade interessada pelo assunto, outra parte da publicação será comercializada a preços populares, dez reais (R$ 10,00).
Finalmente, buscando o fomento e a implementação de projetos na área e a criação e ampliação de políticas públicas específicas voltadas à saúde, educação e cultura dessas mulheres, o trabalho terá linguagem acessível, a fim contribuir para a construção de uma atitude mais positiva e afirmativa frente às diferenças.
            O projeto conta com o apoio do PROAC, da Coordenadoria Estadual de Políticas Públicas para a Diversidade, Secretaria Estadual de Cultura, Secretaria Municipal de Saúde e Prefeitura Municipal de Botucatu, além da Revista Ethos.
            O livro e o documentário serão lançados no dia 25 de janeiro de 2013, às 20h e 30min, no Auditório da UNIFAC, à Avenida Leonardo Villas Boas, 351 – com entrada franca. 
Mais informações podem ser obtidas pelo fone (14) 8165-760 ou pelo endereço na internet www.aesquinademonalisa.blogspot.com


Serviço:
Lançamento do livro documentário – a esquina de Monalisa
Quando: 25 de janeiro de 2013
Horas: 20h e 30min
Local: Auditório da UNIFAC 
            Av. Leonardo Villas Boas, 351
Entrada Franca